segunda-feira, 17 de maio de 2010

PATOLOGIAS DA VIDA MODERNA

COMPLEXO DE JOÃO E MARIA

Acomete os homens e mulheres que, estando em uma relação já desgastada, sem desejo e cumplicidade, não se separam de tanto apego que tem pela casa, pelo lar, pelos filhos, pelo cotidiano em família. Viram um casal de irmãos. Muito comum engordarem bastante, pois trocam prazeres de várias naturezas pelo prazer gastronômico. Quando tentam tirar a aliança, ela simplesmente não sai mais.

COMPLEXO DE BENJAMIN BUTTON

Acomete homens e mulheres que, depois de um longo relacionamento, se vêem de novo solteiros e disponíveis. Constatando que era mais fácil no passado conseguir companhia, esses indivíduos começam a se comportar de forma anacrônica, usando gírias defasadas, roubando para si roupas de seus filhos ou filhas e fazendo várias cirurgias estéticas. Algumas mulheres chegam a negar que sejam mães de suas filhas, e homens que antes iam chateados buscar seus filhos e filhas em festas, passam a entrar no recinto para dar uma circulada.

SÍNDROME DE HIPOTENUSA

Casais que tem história, ainda se gostam, mas sentem o peso do cotidiano em sua vida sexual são os que mais sofrem essa síndrome. Viram catetos à caça da hipotenusa que lhes mostre um ângulo menos reto. Tão logo se satisfazem, passam a ser um círculo perfeito e tratam a outrora desejada hipotenusa (codinome Tabatha ou Vanusa) como uma ameaça a sua felicidade.

NO WI-FI FOBIA

Medo de não encontrar rede wi-fi disponível e ter que passar mais de meia hora sem checar o email, twitar, blogar, entrar no Facebook, teclar no msn. Uma cena que era antes comum, a do pedinte que adentra estabelecimentos comerciais pedindo água, dinheiro ou comida foi substituída por outra: pessoas com seus celulares ou netbooks nas mãos trêmulas e com rostos distorcidos pela ansiedade, adentrando casas e comércios pedindo-lhes a senha de sua rede local.

sábado, 15 de maio de 2010

INVENÇÕES QUE TORNARIAM NOSSA VIDA MAIS FÁCIL



COBERTOR TÉRMICO NANOCINÉTICO


Você já deve ter acordado no meio da noite e, passando pelo quarto de seu filho, o viu encolhido de frio num canto da cama e seu cobertor no chão.

Para as crianças que durante o agitado sono se livram do cobertor, mesmo numa noite fria de inverno, criamos o Cobertor Térmico Nanocinético.

Além de ter aquecimento elétrico alimentado apenas por 4 pilhas AAA, o Cobertor Térmico Nanocinético, desenvolvido com nanotecnologia, tem nano-robôs entremeados em seu tecido, que detectam e se movem em direção à fonte de calor, cobrindo a criança. Não importa quantas vezes e quão longe a criança o jogue. O Cobertor Térmico Nanocinético volta para a cama e a cobre novamente. Diga adeus às gripes de inverno.

Peça o seu Cobertor Térmico Nanocinético nas melhores casas do ramo.


COLHER/GARFO VOADOR "AVIÃOZINHO"

Se você come comida fria todo dia porque precisa alimentar antes a sua criança, que não come direito quando o faz sozinha, você precisa ter a Colher/garfo voador Aviãozinho. Criada por engenheiros e designers da NASA, ela voa de verdade. E obedece a comandos de voz. Você diz: “arroz” e ela vai até o montinho de arroz e deposita na boca da criança, que se alimenta ao mesmo tempo em que se diverte. Ligada no modo camuflagem, você diz “Quiabo” e a Colher/garfo voador Aviãozinho recolhe no prato, além de quiabo, outro alimento mais querido pelos pequenos, como uma batata frita, e a coloca por cima do quiabo, enganando carinhosamente a criança. Colocada no modo acrobacia, a Colher/garfo voador Aviãozinho dá voltas em cima da mesa, desviando-se do lustre, antes de atingir o seu objetivo final: a linda boquinha de seu filho ou filha. Isso sem deixar cair um grão de feijão. Sua tecnologia é confidencial. Disponível nas cores rosa, azul e também prata, que compõe muito bem com seu faqueiro.


DVD INDUTOR DO SONO GOOD DREAMS

Com o DVD Indutor do Sono Good Dreams a sua vida será bem mais fácil. Basta por em seu aparelho de DVD e apertar a tecla play que em cinco minutos a sua anjinha estará dormindinha com um sorriso nos lábios. O DVD Indutor do Sono Good Dreams tem, editado de maneira subliminar, bocejos e espreguiçadas de personagens famosos, da Bela Adormecida à Branca de Neve, passando pelo Homem Aranha e Wolverine. Mas não é só isso. Um zumbido pulsante ultra sônico, inaudível para o ouvido humano, causa um efeito relaxante nas crianças, induzindo-as ao sono imediato.

Disponível nos títulos: O castelo de sonhos (meninas) e Programado para Apagar (meninos).

sexta-feira, 14 de maio de 2010

ABERTO PRA BALANÇO


Relendo o blog inteiro essa noite eu me lembrei que comecei a escrever o manual por conta da quantidade enorme de pais que mal vêem os filhos. Não para me gabar de ser diferente, mas para mostrar aos medrosos papais que não existe nada demais em criar seus filhos. Como tudo, exige vontade, algum sacrifício, mas depois de algum tempo começa a ficar bem mais tranqüilo. Eu mesmo tive muito medo no começo. Mas quando a gente descobre que até isso se aprende, que não precisamos necessariamente abdicar de nada em nossas vidas, talvez apenas mudar as coisas de lugar, e passamos a conviver com esses seres lindos que são parte de nós, descobrimos que é realmente o melhor dos dois mundos.

Quando eu e a mãe de minha filha optamos pela guarda compartilhada a idéia nos pareceu boa por vários motivos. Ava teria convivência e o carinho constante de ambos e tanto a mãe quanto eu teríamos nosso tempo com ela e tempo para nos dedicarmos às nossas coisas, trabalho incluso. Mas agora vejo que as vantagens são muito maiores do que isso.

Tanto eu quanto a mãe temos uma cumplicidade enorme com ela, ao ponto dela nos contar suas aventuras, desassossegos e dúvidas, sem distinção; não temos ciúmes da convivência dela com o namorado do outro porque firmamos nossa presença e nosso papel é bem claro na cabecinha dela; exercitamos nossa comunicação nesses quatro anos (Ava acabou de fazer 6) e agora esse know how faz com que não tenhamos mais ruídos; Ava continua sendo uma menina feliz e saudável e não demonstra qualquer dificuldade em assimilar nossa realidade; na prática deu certo até agora termos duas realidades: a de pais e a de solteiros; dividimos as despesas igualmente mas no caso de um estar em maior vantagem financeira que o outro este assume as despesas por um tempo.

Não quero fazer parecer que nossa relação seja perfeita. Existem estresses de várias naturezas e intensidades. Mas são passageiros. Quando se está junto acho que mágoas sobrevivem até mais do que quando estamos separados. E para o bem dos pequenos devemos engolir sapos e implodir barracos.

Me considero um homem bem mais compreensivo com as mulheres depois que virei pai de uma. Mas tento a todo custo fazer com que minha filha fale em vez de gritar e que me retorne a compreensão com palavras em vez de choro. Uma mulher emocionalmente estável seria a perfeição.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

DE UM PAI SOLTEIRO PRA OUTRO: MEU PAIZÃO

Além da Priscila, que nos ajuda três vezes por semana aqui em casa e nem lê mais aquela listinha de afazeres que eu já postei por aqui, tenho a sorte de ter um paizão que vem cá pra casa ficar com Ava toda vez que preciso sair à noite estando com ela. Além de pegar e levar a petita na escola quando não posso, topar as brincadeiras mais cansativas, ter um know how de fazer cabaninhas como nenhum outro e ser aquele vô coruja que tira fotos e conta histórias, meu velho pai é um violonista de mão cheia que acompanha a neta quando ela quer soltar a voz. A última música que Ava aprendeu foi Caminho das Águas, de Rodrigo Maranhão, interpretada por Maria Rita. Há alguns dias vi os dois ensaiando e fiquei muito emocionado. Só nesse dia, vendo sua disponibilidade, dedicação e carinho, foi que me lembrei que meu pai se separou da mamãe há vinte anos, teve algumas namoradas, mas continua pai solteiro como eu. Ele é a primeira pessoa que ligo quando preciso de ajuda. Algumas babás são super competentes e carinhosas, mas ter a companhia de família nos momentos em que não estão com os pais é ótimo para o amadurecimento cultural, intelectual e afetivo das crianças. Ava também adora ficar com a Priscila quando tenho que sair de manhã. Ela já está conosco há dois anos e tem um carinho e uma facilidade enorme para se relacionar com a petita. Mas devo a meu pai a tranqüilidade de sair para trabalhar ou me divertir quando deixo os dois cantando juntos e vou ouvindo até sair pela garagem o som de risos, seu violão e a voz de minha filha. Dá até pena sair.



SOMOS O QUE SOMOS

Acho que ser homem, pai, marido, adulto do sexo masculino já foi mais fácil, mas não tinha graça. Confinados em seus clubes, escritórios, s...