PATOLOGIAS PÓS SEPARAÇÃO



SÍNDROME DE MADASTRA MALVADA

Acomete aquela linda mulher, que antes de se casar, e principalmente, antes de engravidar, adorava e tratava muito bem os filhos do primeiro casamento do marido, mas depois de parir o seu próprio rebento, passa a tratá-los como se fossem avatares da mãe deles. Acaba afastando o pai da convivência com as crianças por simples capricho e egoísmo. Talvez medo de dividir bens materiais e atenção.


SÍNDROME DE BABUÍNO

Normalmente acomete aquele cara legal e moderno, que teve várias namoradas depois de separado, trata super bem a ex-esposa e os filhos até o dia em que vê que a ex está realmente e finalmente gostando de alguém pra valer. Daí ele desanda a atrasar a pensão, some do mapa por dias, fica agressivo e acaba por tentar se reconciliar a qualquer custo. Normalmente diz que nunca amou alguém de verdade, fora ela (a ex).


COMPLEXO DE MEDÉIA

Acomete algumas mulheres cujo ex-marido está em vias de se casar de novo. Ela passa a hostilizá-lo e a dificultar o contato dele com os filhos. Com medo de perdê-lo definitivamente ela usa as crianças como moeda de troca para sua atenção. Cega de ciúme, não vê que prejudica os filhos em nome de sua vingança. Acusa sem justificativa a atual companheira do ex de falsa e sem-vergonha, podendo chegar a tratá-la por piranha e vadia.



COMPLEXO DE WALLY

Alguns homens que se separam sofrem do complexo de Wally por algum tempo. Simplesmente somem. Querem mostrar para si e para todos que estão se dando bem sozinhos. Ou tentam demonstrar mágoa ou vingança com sua ausência e acabam por praticamente esquecer que tinham família. Infelizmente quem sofre mais com isso são os filhos. Acham que o pai deixou de gostar deles e se sentem culpados por isso. Anos depois, esses pais fujões tentam se reaproximar dos filhos. E alguns conseguem ser bem sucedidos na retomada da carreira de pai.

Comentários

Aline Satiko disse…
Conheço pessoas que se enquadram nessas três categorias.... hahahaha
Mas em compensação, conheço outras que realmente fazem a diferença!
Juliana Dias disse…
Muito, muito boas suas definições. (risos)

Seu Blog tem muito conteúdo! Não somente para pais solteiros...rsrs

Ficaria feliz com a sua visita ao meu e sua participação!

Grande beijo!
Anônimo disse…
Que bom saber que tem homens comprometidos e interssados com seus filhos. Eu estou em uma situação muito complicada. Estou casada, tenho uma filha linda de 2 anos e 9 meses. No entanto percebo que meu marido, não tem paciência, afeição para com nossa filha. Grita com ela, já deu um tapa, que dói em mim até hoje. Existe alguma que caracterize isso, ou é desamor mesmo. Não entendo como um pessoa pode hostilizar um ser tão lindo e inocente. A impressão que tenho é a de que ele tem ciúmes da criança em relação a mim. Peço desculpas pelo desabafo, sei que não é o assunto principal do seu blog. Talvez a única solução seja a separação, no entanto tenho medo que minha filha sofra, por não ter a figura de um pai. Apesar de que ter uma figura negativa não ajuda nem um pouco no desenvolvimento.
Aggeo Simões disse…
Eu me divirto fazendo essas definições. São baseadas em histórias reais mas não tenho nenhuma pretensão de estar correto. É mais para se refletir a respeito.

Anônima, numa situação dessas a melhor coisa a fazer é procurar ajuda especializada. Uma terapia de família, por exemplo.

Felicidades e obrigado a todos pelos comentários.
Daniel disse…
Não fique assim. Me separei quando minha filha tinha apenas 4 meses, com a mãe dela saindo de casa, indo morar a 135 km de mim (significa duas horas de estrada).

"Sofri, chorei, tanto que nem sei."

Hoje, minha filha está próxima a completar dois anos, me ama e curto os momentos que tenho.

Me considero paizão. Troco fraldas, dou banho, comida, boto pra dormir, acordo de madrugada quando chama a mãe e vou fazer mamadeira...

No início achei que era morte em vida. Hoje vejo que separado, significo "possibilidade", um outro mundo.

Fato que acaba sendo mais fácil para o homem que para a mulher, eis que esta fica com o dia-a-dia, ao passo que eu com os momentos divertidos (digamos assim).

Apenas quero dizer que os sentimentos dos filhos para com pai e mãe se solidificam com a presença e se imiscuem com as maldades.

Que sejamos bons pais. E ser bom não é fazer tudo o que querem.
Adorei o "dicionário"!
bjos
Anderson disse…
Muito boa essas definições, adorei, você esta de parabéns!!!!
Fernanda Moreira disse…
Excelentes definições, meu ex esta ai, sindrome de babuino...depois de 2 anos e 9 meses descobriu que se precipitou em não dar valor a nossa relação, descobriu que era amor...rs
Adorei o seu blog...
E ja estou seguindo
Daniela Castro disse…
Essas sindromes acometem muitas pessoas e muitas acometidas não percebem o quanto estão "doentes".
Parabéns pela ótima reflexão! bjos

Postagens mais visitadas