terça-feira, 29 de dezembro de 2009

SOBRE CRIANÇAS E PLANTAS




















Antes da minha petita nascer eu nunca tive saco para plantar nada, muito menos regar, adubar, etc. Quando ganhava uma planta, seja ela qual fosse, eu me lembrava na primeira semana de por uma aguinha e nunca mais. Morriam todas, até cactus. E isso me incomodou, no fim das contas, quando morreu um lindo bonsai, dado por uma pessoa que eu gosto muito. Pois foi só eu ser pai que agora é dificílimo alguma planta minha morrer. No máximo dão uma murchadinha reversível. Parece que a torneirinha do amor quando se abre, além de nunca mais fechar, abre para todas as criaturas que possam depender de nós em algum momento, seja para outras crianças, bichinhos ou até plantas.

Bom, na verdade esse post é pra falar de um jardinzinho de ervas que foi pra mim uma ótima terapia pós-separação. Duas jardineiras compridas e estreitas que ficam na área de serviço e onde plantei, com mudas ou sementes, ruculinhas, pimentas, orégano, sálvia, manjericão, alecrim, tomilho, hortelã. Tudo pouquinho. Na época dei uma “googada” em “jardim de ervas” e vi várias idéias. Usei aquela terra adubada comprada pronta e de resto só água e sol. Algumas plantas como as pimentas, o alecrim e a sálvia gostam bastante de sol enquanto outras esturricam, como o manjericão e o hortelã. Água quase todo dia. É claro que algumas morreram, outras deram pragas, mas eu ia replantando e quase sempre tinha o suficiente para minhas receitinhas.

Por falar em receitinhas tenho uma
manteiga de ervas e aliche facílima e gostosa.

Duas colheres de sopa de manteiga sem sal, a mesma medida de azeite extra virgem, 4 filezinhos de aliche, 2 galhinhos de orégano, alecrim e tomilho e duas folhas de sálvia. Ponha tudo numa vasilhinha e deixe no microondas por 1 minuto. Dê uma mexida e pronto. Eu prefiro mais liquida, tipo manteiga de garrafa. Mergulho o pãozinho ou rúcula. Acompanhando um tinto mais encorpado é uma delícia.

P.S. Por falar em mudanças pós-paternidade agora eu não consigo nem passar perto de filmes que tenham alguma passagem trágica envolvendo crianças. Fico consternado. Triste. Acabado. Se for notícia, aí me dá vontade de passar uma semana sem ver TV ou ler jornal só pra não ter que saber mais nenhum detalhe sobre.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

NATAL DAS CRIANÇAS

Eu e minha pequena só passamos um natal juntos, quando ela tinha 8 meses. Desde então ela passa com a mãe, que tem família numerosa e com várias crianças. Não tem como competir. Mas daqui alguns anos ela vai pedir pra passar o natal comigo. E será uma noite inesquecível. Ela vai ser meu papai noel e eu o dela.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

O PAPÁ DO PAPAI













É tão bom para um pai chegar em casa cansado do trabalho e ver seu filho feliz da vida, com conforto, educação e bem alimentado. E isso sendo proporcionado com o fruto do seu suor. Da mesma maneira os antigos chegavam com a caça ainda quente no lombo, o que garantia comida pra toda a semana, feita pelas mulheres da tribo, que sofriam para prepará-la. Tinham que tirar a pele, cortar, limpar, salgar, e cozinhar. Hoje a gente continua sendo o “caçador” e pode ser também o cozinheiro. Olha que autonomia! Já está tudo cortadinho e limpinho nas gôndolas, é só por no carrinho e preparar em casa.

Há homens e mulheres que odeiam cozinha e eu respeito isso. Aliás, eu só namorei uma moça que curtia cozinhar. Mas há um prazer indizível em alimentar sua criança, sua família ou quem você gosta, com pratos feitos por você mesmo. Alguns homens optam por fazer um curso de culinária. Além de ser gostoso aprender coisas novas, se conhece muita gente bacana também. No meu caso, aprendi com minha mãe e sempre consulto a internet e alguns livros. Nunca fiz nada muito complicado. Comida caseira. A prática vai tornando tudo mais simples. Basta se desvestir de preconceitos e de preguiça e vestir um avental. A falta de jeito vai diminuindo com o tempo. Eu era o maior desastrado do mundo na cozinha. Hoje sou só um pouquinho.

Uma outra coisa gostosa é contar com a ajuda das crianças. Elas adoram. Desfiar um peito de frango, fazer bolinhas de carne, tirar as folhinhas do manjericão, cortar a massa do pastel com um copo. Há várias etapas no fazer de um prato que podem ser confiadas às crianças. Incentive os pequenos a por a mão na massa. Mas fale sempre sobre os perigos que existem numa cozinha, mantendo as ferramentas perigosas longe e os pequenos longe do fogão.

Espaguete com frango desfiado e creme de leite

A gente aqui em casa não tem muita criatividade na escolha da massa. É espaguete na cabeça sempre. Mas essa receita funciona com um fetuccine muito bem também. É a preferida de minha filha. Tem tudo que criança gosta e faz bonito também com adultos. Eu vi essa receita no programa da Nigella. Se não fiz igualzinho, porque não anotei, continua bem gostoso o prato.

O ingrediente principal dessa receita não sou eu quem faço. Um frango ou galeto desses de televisão de cachorro. Escolha o melhor do seu bairro. Tem uns que o tempero não penetra na carne, daí não funciona. Aqui em BH tem o Beto´s Delivery (3285-4050) que faz o frango na churrasqueira. Tem aquele gosto e cheiro de defumado, maravilhoso. Mas se você quiser fazer é só comprar um peito de frango (porção pra 2), jogá-lo na água fervendo com um bom punhado de sal e deixar lá de 20 a 30 minutos até ficar bem branquinho e macio. Depois tire, deixe esfriar e desfie miudinho. Eu, com o frango comprado pronto, não desfio só o peito de frango. Gosto das carnes mais vermelhas como a coxa e a sobrecoxa. E ainda sobra frango pra comer na próxima refeição. Eu desfio meio peito, uma coxa e uma sobrecoxa para uma porção para duas pessoas.

Ferva 4 litros de água com um pouco de sal e um fio de azeite numa panela bem funda (uma panela de cozinhar massa é peça importante no enxoval do recém-solteiro) e ponha o espaguete. Mexa para que eles não grudem uns nos outros. Cozinhe por 10 minutos ou até que a massa fique macia. Criança não curte massa al dente.

Agora ponha numa frigideira grande ou média, azeite, um dente de alho picadinho, cubinhos pequenos de 1 tomate, meia cebola picadinha (tem criança que não come, mas se for processada miúda passa), tirinhas de presunto, o frango desfiado e sal a gosto (pode pôr ervilha, milho, o que a criança curtir e for colorir e dar sabor ao prato). Depois de dourar a cebola e o alho, escorra o espaguete e ponha junto. Mexa devagar até a massa incorporar os ingredientes do refogado. Ponha agora meia lata de creme de leite. Serve o de latinha, mas o fresco fica melhor. Continue mexendo e desligue o fogo. Prove pra ver se precisa de mais sal. Ou se precisa de mais creme. Como é fácil por e difícil tirar, o sal deve ser posto aos poucos. Prove e se precisar ponha mais.

Na travessa que vai à mesa ponha o espaguete e por cima salsinha e cebolinha cortadas miudinhas. Cubinhos de muzzarela vão derreter se jogados por cima da massa quente. Fica irresistível. Quando eu faço pra adultos eu ponho no refogado, antes da massa, passas, uma pitada de estragão seco e gotas de pimenta malagueta.

Se alguém testar dê a nota.

Mandem as receitas preferidas de seus pimpolhos.


terça-feira, 15 de dezembro de 2009

DONO DE CASA x DIARISTA




















Depois que passei a morar com minha filha eu realmente vi que não é fácil orientar uma empregada. A criança pede um nível de limpeza e higiene na casa que é bem diferente dos parâmetros de uma diarista comum. Crianças põem tudo na boca, deitam no chão, e gostam de morder o que estiver na frente quando estão com os dentinhos crescendo.

Cansado de repetir o mesmo falatório a cada mudança de profissional (também é difícil acertar a profissional ideal para você e sua casa) eu acabei por escrever com detalhes certos procedimentos. Imprimo e ponho pendurado na geladeira. Dê uma lida, modifique e complete de acordo com suas necessidades. No começo, é bom você ir checando se tudo está sendo feito. As empregadas e diaristas acham normal serem orientadas à exaustão por mulheres, mas não por homens. Se houver algum item que estiver sendo esquecido, grife-o e converse com ela. Depois de um tempo a coisa vai.

Obs.: Quando estava pensando na ilustração para esse post me lembrei de um amigo que morria de medo da própria empregada. Era uma senhora de uns 50 anos herdada de sua sogra. Ela não obedecia a ele, só a mulher, e ainda o obrigava a limpar tudo que ele sujava.

ORIENTAÇÃO PARA A DIARISTA

AFAZERES DIÁRIOS ou SEMANAIS (DEPENDENDO DA NECESSIDADE)

  • Arrumar e lavar a cozinha, a louça, limpar e lavar os banheiros com quantidade maior de desinfetante.
  • Varrer a casa, passar desinfetante na casa toda e por fim passar a cera.
  • Arrumar os quartos e trocar a roupa de cama prestando atenção redobrada em manchas. Usar produto específico (escrever o produto) para tirar manchas.
  • Limpar o tapete da sala. Virá-lo e batê-lo com a vassoura.
  • Verificar se há manchas ou sujeira nos sofás. Tirar com escova úmida e mais nada.
  • Passar pano nos móveis para tirar poeira.
  • Cuidado com os fios do computador ao limpar o chão do escritório.
  • Os vidros devem ser desengordurados com pano molhado na água quente. Depois usar limpa-vidros.
  • Fazer o almoço. Dar uma geral na geladeira pra ver se tem coisa que pode estar estragada ou mal-acondicionada. Tentar usar o que já estiver lá há mais tempo e não estiver cheirando mal.
  • A roupa suja ou fica na área ou numa cesta no banheiro. Se não der pra lavar tudo, lavar o que der de meias, cuecas, camisas de malha, camisas de botão e calças. Nunca deixe sem lavar todas as peças de uma dessas categorias. As roupas da criança ficam numa cesta no quarto dela. Lavar separado das minhas e, se precisar, pôr de molho separado também.
  • Passar a roupa. Se não der pra passar tudo, passar o que der de meias, cuecas, camisas de malha, camisas de botão e calças. Não deixe nenhuma dessas categorias com peças sem passar.
  • Checar se os meus calçados e os da criança precisam de ser lavados ou engraxados.
  • Verificar se no armário estão camisas amarrotadas e passá-las. Principalmente as sociais, de gola e manga longa.
  • Limpar todos os lixos da casa (cozinha, área, banheiro e escritório) e levá-los para a garagem no lixo do prédio. Pôr sacos de lixo novos nos respectivos.
  • Antes de sair limpar a área com água e desinfetante.
  • Não mude nada de lugar e o que precisar tirar do lugar para limpar, como papeis, cds, revistas, etc, volte para o lugar de origem.
  • Pôr água pra gelar e fazer gelo com a água do filtro.
  • Conferir a validade dos alimentos na geladeira e jogar fora o que estiver vencido ou com a cara de estragado. Se eu estiver em casa me pergunte.
  • GUARDAR TODOS OS PRODUTOS DE LIMPEZA NO LUGAR CERTO PARA NÃO HAVER PERIGO DA CRIANÇA INGERIR OU INALAR PRODUTOS TÓXICOS!!!!

MENSAIS/BIMESTRAIS (DEPENDENDO DA NECESSIDADE)

  • Descongelar (quando necessário) e lavar a geladeira por dentro com água e vinagre branco (proporção de 1 para 1. Na porta usar água com bicarbonato de sódio)
  • Limpar os armários da cozinha, do banheiro e dos quartos por dentro com pano umedecido em solução de água misturada à água sanitária na proporção de 1 para 1. Tire as roupas antes e coloque-as de volta apenas depois que as gavetas secarem.
  • Lavar as paredes dos banheiros tentando tirar ao máximo a sujeira entre os azulejos. Usar produto específico (nome do produto)
  • Limpar as janelas. Passar pano primeiro para tirar o pó e depois lavar com água e sabão. Nos vidros usar limpa-vidros.
  • Tirar a gordura e poeira impregnados em cima de todos os móveis da cozinha incluindo a geladeira, em cima do batente das portas, do teto, da janela.
  • Limpar as paredes da casa e os interruptores.
  • Limpar o fogão com água e bicarbonato de sódio. No forno usar produto específico.(nome)
  • Virar o colchão nos dois sentidos de modo que a parte debaixo fique em cima e que o lado da cabeça vá para os pés. Passar um pano umedecido com água e detergente em toda a superfície do colchão.
  • Deixar os travesseiros na janela para pegar ar e sol, tirando antes as fronhas.
  • Limpar os filtros da máquina de lavar.
  • Limpar a vela do filltro de água com sal grosso.

SEMESTRAIS

  • Retirar e lavar cortinas, persianas e tapetes.
  • Passar pano úmido com vinagre nos dois lados dos colchões e deixa-los em pé até secarem, de preferência no sol.
  • Lavar os travesseiros (somente eles) na máquina usando o ciclo suave e sem amaciantes. Centrifugar.

Qualquer dúvida me ligue. (Seu nome: XXXX-XXXX).

VESTIU UMA CAMISA LISTRADA E SAIU POR AÍ













Tenho alguns conhecidos que se separam, mas põem a aliança quando saem à noite porque acham que isso atrai mulheres. Atraem mulheres, mas apenas as bobonas. Existe aquela máxima cruel, porém correta na maioria dos casos. “Homens traem para manter o casamento e as mulheres para saírem dele”. As mulheres que gostam de homens casados são um instrumento para mantê-los no casamento, em suma. A maioria já sacou isso. Ou seja, aliança de casado não é um bom acessório masculino se você não for casado.

Não quero ficar me metendo a estilista, mas a verdade é que hoje homens entre trinta e poucos e cinqüenta e tantos se vestem do mesmo jeito que a galera de vinte. Camiseta de malha, calça jeans ou bermuda e tênis. O que deve mudar é que nossa camiseta não tem uma estampa escandalosa, mas uma cor e modelo interessantes, usamos cinto, a calça está passada e não pára no meio das nádegas e o tênis é mais discreto e elegante. Estilo é uma coisa pessoal, e por mais sisuda que seja a roupa de trabalho não hesite em usar algo leve e informal na folga, desde que isso o faça sentir bem, é claro. Use um perfume discreto e sempre o mesmo, só troque de tempos em tempos. Perfumes para o homem são marcas, assinaturas. E as mulheres gostam disso. Quem troca de perfume sempre perde essa identidade olfativa.

É pensando em detalhes que nos fazemos distinguir da galerinha. É meio ridículo, por mais que estejamos na adolescência pós casamento, que queiramos parecer jovens, pois ainda somos. Jovens com aquele plus a mais!

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

DIFICULDADES DE UM PAI SOLTEIRO






















. "Onde está meu vestido novo, papai?"
"Deve estar na casa da sua mãe."
" Eu quero usar meu vestido!!! Snif, snif
" Infelizmente não dá, escolhe outra coisa"
" A calça jeans da Barbie!"
E depois de muita procura
" Acho que tá lá também..."
" Buááááááá´"

. Lugares públicos que não tem banheiro de família. Não posso entrar com minha filha nem no banheiro masculino nem no feminino. Tenho que ficar de campana na porta do banheiro feminino, esperando que todas que estão dentro saiam e não deixando ninguém entrar para eu poder entrar com ela sozinho. De vez em quando aparece alguma mulher bacana que se oferece para acompanhá-la mesmo quando aviso que ela vai fazer o número 2. Algumas declinam.

. Raramente babás dormem em casas de homens desacompanhados. A maioria é nova, tem menos de trinta anos. São proibidas por seus pais ou namorados, que não acreditam que a gente dê beijo de boa noite só nas crianças quando chega tarde em casa. E tem o caso do amigo que acordou com a babá deitada do seu lado na cama porque ela ouviu um barulho e ficou com medo. Sem comentários. Ainda há no mercado aquelas senhorinhas de meia idade que normalmente são ótimas babás. Dê preferência a elas para não arrumar confusão.

. As mães de coleguinhas demoram para confiar seus filhos à gente para passear, dormir em nossa casa, etc.

. As próprias crianças, a partir dos seis anos quando os pais se separam, nos acham incompetentes para cuidarmos dela. Talvez sejamos mesmo, no início, mas as crianças são bem cruéis com nossas inseguranças. Também sabem valorizar nossos esforços.

. Tenho que me justificar para determinadas pessoas que sim, é melhor para ela morar com ambos os pais que apenas com a mãe, se a gente se estrutura e se prepara para isso.

. As vendedoras de roupas infantis utilizam de minha ignorância no vestuário feminino para empurrar artigos fora de moda, encalhados ou de pior qualidade.

. Freqüentemente ouço reclamações sobre o ciúme dos namorados da mãe para conosco ou das nossas namoradas para com nossa ex pelo fato da gente (mãe e pai) termos que estar sempre nos comunicando ou encontrando. É claro que o contato é maior se comparado com um casal que não divide a guarda. É um grande equívoco dificultar as coisas entre os pais separados. Isso só deixa a vida pior e mais difícil para todos, inclusive para a criança. O negócio é conversar, elucidar qualquer dúvida e tentar ser tolerante. A comunicação entre pais separados tem que ser constante e pede canais livres para não haver ruídos. Saúde, alimentação, higiene, escola, tudo funciona muito melhor quando ambos sabem de tudo sobre a criança em tempo real. E-mails e sms são úteis também, desde que não apenas eles. A comunicação oral é muito mais rápida. Fora a felicidade da criança de ter, de vez em quando, mãe e pai juntos com ela (inclusive acompanhados de seus atuais namorados). Alguns retrógrados acham isso moderno demais. Eu acho essencial e totalmente normal. No geral, depois de certa idade da criança essa comunicação fica mais objetiva e sucinta sem perder a eficácia.


domingo, 29 de novembro de 2009

PROFISSIONAL X PAI














Quando me separei estava no pior momento financeiro da minha vida. E piorei. Demorei uns dois anos pra por as contas em ordem. Para isso trabalhei muito, economizei e por isso deixei de ficar alguns momentos importantes com minha pequena. Já ouvimos que muitas mães têm certa consciência culpada por passar mais tempo no trabalho de que com os filhos. E eu senti isso também em determinada época. Se isso acontecer de vez em quando, relaxe. Mas se você sentir indícios no comportamento de seu filho que ele precisa ficar mais tempo com você , algo precisa ser feito. Até os seis anos, a primeira infância, a gente realmente precisa abrir mão de algumas coisas para garantir que nossos filhos tenham os subsídios necessários para serem adultos bem resolvidos, independentes, de bom caráter. Escola não faz isso sozinha. Não consigo esquecer de um casal de pais numa reunião para conhecermos a nova escola de nossos filhos. Eles não queriam que escola passasse " para casas" porque não tinham tempo para ajudar os filhos. Achavam um absurdo pagar uma escola cara e ainda ter que ficar preocupados em ajudar no "para casa". Ficamos, eu e a ex, boquiabertos. Será que é comum alguns pais pensarem assim? Terem filhos e entregarem para outros criarem?

A partir dos sete, a sociedade (amigos principalmente) ganha um espaço na vida deles que é irreversível. O ideal seria que só à partir dessa época pudéssemos aumentar a nossa carga horária no trabalho. Sempre sem exageros. Mas conheço gente que tem emprego fixo e que conseguiu tirar duas manhãs por semana pra ficar em casa com a(s) cria(s) compensando no fim de semana, trabalhando em casa, ou até mesmo propondo aos empregadores diminuir-lhes um pouco o salário. E valeu a pena, de acordo com eles. Como já mencionei antes, até os seis anos, no mínimo, a criança absorve e forma muitos dos que são serão seus traços de caráter quando adulto. Lembrem-se daquele irmão, primo ou amigo cujos pais só apareciam para dar presentes e deixá-los fazer tudo o que queriam pra compensar a ausência cotidiana. Eles são pessoas legais e produtivas hoje?


Cada um sabe o que faz e o que pode fazer e seguir seus instintos funciona na maioria das vezes. E tem aquele lugar comum e certo: Qualidade é melhor que quantidade. Mas essa equação vai embora quando a quantidade é próxima de zero.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

FILHO(A). UMA ÓTIMA DESCULPA PRA TUDO














Acho que é muito melhor ouvir: “Hoje não posso, vou ficar com meu filho.” do que um “Hoje a noite vou ver o jogo” ou “Hoje a noite combinei de encontrar uns amigos” ou “Já tenho outro encontro”. Não se sinta culpado. A não ser que você esteja ficando com a sua vizinha ou a vizinha de sua ex, sempre dá certo. É uma daquelas mentirinhas brancas que não fazem mal a ninguém. Mas certifique-se que seu filho tem menos de 15 anos para a mentira fazer efeito.

Chegar atrasado ao trabalho dizendo que a babá demorou a chegar e você não pôde sair antes funciona também. Ou até dizer que passou a noite em claro cuidando de seu filhinho que tava doente, e perdeu a hora. Mas não pese a mão. Se ficar constante, ou você nunca vai ser levado a sério de novo ou vai ser visto como o cara do filho-problema.

Por outro lado, puxar conversa com a mãe linda e sozinha que sentou ao seu lado na pracinha, dizendo: “Onde você comprou esse tênis pro seu filho?“ pode ser muito simpático. Ou para aquela mulher que acabou de empurrar sua filha no balanço: “Minha filha disse que você é muito legal e vim te agradecer o carinho com ela” também é um bom começo para uma paquera.

Um homem que mora com seu filho é visto com respeito e admiração pela sociedade, mulheres incluídas. Muitas delas, também ex-casadas, têm que reclamar na justiça para ganhar um salário mínimo dos ex-maridos. Ou têm que ligar e deixar mil recados para que eles apareçam no Natal para ver sua filha. Já que somos uma classe de homens de alta estirpe (na verdade somos o que deveria ser considerado normal) então porque não usar isso a nosso favor?

Algumas sugestões:

“- Hoje a babá atrasou.” (Para reuniões às 8 da manhã em que você chegou atrasado.)

“- Não, tal dia de manhã tenho que levar minha filha ao médico.” (Para futuras reuniões às 8 da manhã)

“- Tenho reunião de pais essa noite.” (Perfeita para quartas à noite, dias de jogo)

“- Nossa, uma mensagem dizendo que minha filha está tendo um ataque alérgico muito forte e vou ter que correr para o hospital.” (Para blind dates marcados em salas de bate papo, quando a mulher que te disse que tinha 30 anos na verdade tem 30 plásticas)

“- Conheci na reunião de pais da escola, ela é uma ótima mãe, somos amigos e ela ta me dando uns toques ótimos.” (Explicando para a recente ex quem é aquela mulher que sua filha fala tanto)

“- Que tal sairmos esse fim de semana com as crianças? Podemos ir ao cinema, ir a um parquinho, almoçar... as crianças parecem muito felizes juntas.” (Para aquela mamãe separada que você encontrou no posto de saúde no dia de vacinação.)

Sugira boas desculpas para o blog...


O MELHOR DOS DOIS MUNDOS













AS MARAVILHAS DE SER (PAI) SOLTEIRO

Agora é a hora de você reinventar a relação com sua criança, ganhar a confiança de seu filho como pai sem a presença constante da mãe e viver a vida. Tenha tempo para passar, sozinho, bons momentos com ela. Vá ao teatro, ao parque (você vai ver quantas mamães lindas, separadas e carentes existem nesse mundo), ao cinema, leve-a a escola. A convivência com crianças é um dos melhores anti-depressivos naturais que existem. E é uma bela troca. Você a deixa feliz e sai recarregado e feliz também, por mais que alguns momentos sejam cansativos para um recém pai solteiro. E por falar em anti-depressivos naturais, antes de recorrer aos de caixinha, caso esteja precisando, lembre-se que ar, água e sol são grandes remédios também. Corra, ande, nade. Não é balela não. Funciona mesmo. Mas antes faça um check-up e procure orientação médica adequada. Faça de tudo para não piorar sua situação. Seja atencioso com você.

Logo no começo, a maioria das crianças (isso depende muito da idade) sente saudades da mãe enquanto estão com o pai. A gente tem que ter a humildade necessária e saber que por mais que nos esforcemos, mãe é mãe. A criança vai manifestar seu amor por você, mas provavelmente muito mais pela mamãe querida. Normal. Mas enquanto ela estiver com você tente fazer desse momento um momento mágico. Ou no mínimo gostoso pra vocês dois. Com o tempo isso irá fazer a diferença no relacionamento de vocês.

Pode parecer mórbido, mas quando eu estava achando a tarefa de ser pai solteiro difícil demais, eu me lembrei de um amigo viúvo. Ele era pai e mãe em tempo integral, enquanto eu só metade da semana. É claro que ele fez amizade com várias mamães por conta disso e pedia-lhes ajuda vez por outra, mas nada melhor que trocar idéias com a mãe do seu filho. Se ele deu conta – a filha dele agora está com 24 anos, formada e fazendo mestrado em Londres - porque eu não iria dar? E agora a sociedade está muito mais bem preparada para receber essas famílias incomuns do que há vinte anos atrás.


GUARDA COMPARTILHADA













A guarda compartilhada de filhos menores, é o instituto que visa a participação em nível de igualdade dos genitores nas decisões que se relacionam aos filhos, é a contribuição justa dos pais, na educação e formação, saúde moral e espiritual dos filhos, até que estes atinjam a capacidade plena, em caso de ruptura da sociedade familiar, sem detrimento, ou privilégio de nenhuma das partes. (...)


Garanto que seu amigo advogado vai lhe dar pareceres mais qualificados que eu. Mas, no meu caso, eu e minha ex tivemos a mesma opinião sobre isso. Não queríamos que eu fosse pai de fim de semana. Não queríamos entregar nossa filha a babás durante muito tempo.

A princípio, antes dela entrar pra escola, eu a buscava quando podia, a qualquer hora. Dormia com ela, saia, brincava em casa. Muitas vezes trabalhava na sala enquanto ela desenhava ao meu lado, só pra ficar perto dela. De vez em quando parava, brincava uma meia hora e voltava ao trabalho. Outras vezes passava uma manhã ou uma tarde com ela e a devolvia à mãe. Um ano depois ela entrou para a escola, à tarde. Ficou bem mais fácil para mim programar os dias em que ficaria com ela. Como ambos somos autônomos e trabalhamos em casa, tentávamos nos liberar nas manhãs em que estávamos com a guarda. A escola funciona como uma câmara de descompressão.

Enquanto ela era muito pequena e sentia muito a falta da mãe era assim, mamãe leva e papai busca (nas palavras de nossa filha). Ou seja, alternávamos os dias. Estávamos sempre com a cabeça fresca e com saudades de nossa criança. Um dá almoço e leva pra escola e o outro busca, dá banho, dorme com ela, passa a manhã, almoça, leva pra escola e assim por diante. Fins de semana eram divididos mais livremente de acordo com os planos de cada um. Combinamos certas regras como hora de dormir, cardápio, hora de lanche, hábitos diários. Tudo teria que ser igual na medida do possível para que ela não sentisse que passava de um mundo para outro a cada dia. Nas duas casas ela tem um quarto com suas coisinhas, organizada de maneira parecida. Tentamos repreender suas desobediências também da mesma maneira, com muita conversa, castigos e raramente, uns beliscões (sem unha) na bunda.

Depois de um ano assim tentamos fazer diferente. É o típico erro de mexer em time que está ganhando. Apesar da nossa ótima intenção. Algumas opiniões, alegando que a criança ficava dividida, que teria chances de desenvolver dupla personalidade, que não conseguiria nunca ter um cotidiano normal, fizeram com que nós dividíssemos a semana ao meio. Numa semana ela ficava quatro dias comigo, na outra, quatro dias com a mãe. E certa tarde quando fui pegá-la pela terceira vez consecutiva na escola, ela pediu pra eu levá-la para a casa da mãe ou não iria comigo. Fiquei baqueado. Mas foi bom para eu descer do salto alto me achando de certa forma igual a uma mãe. Crianças têm um apego pela mãe, normalmente, muito maior do que pelo pai nessa idade. Ela tinha três e meio. Fomos a uma psicóloga, e ela nos disse algo que já sabíamos. Crianças que estão com problemas demonstram isso. Se a criança é feliz, come bem, é comunicativa, se relaciona normalmente com outras crianças, ela está bem. Qualquer distúrbio psicológico aparece no comportamento da criança e não é preciso ser um profissional para ver isso. Nós, pais e mães que convivemos e conhecemos nossos filhos sabemos quando alguma coisa vai mal. Pois bem, voltamos a alternar os dias e a partir dos 5 anos eu fico dois dias com ela, a mãe dois dias e no fim de semana sempre conversamos sobre o que seria mais adequado aos três. Cada caso é um caso e existem várias profissões dos pais que inviabilizariam isso. Mas até os sete anos a criança precisa e muito dessa presença dos pais em suas vidas. Haja vista o tanto de sociopatas entre 30 e 40 anos filhos da geração trabalho acima de tudo. Grana é essencial, inclusive para garantir uma boa educação para nossos filhos. Mas eles precisam muito de atenção se o objetivo desta nossa luta diária for fazer que eles sejam pessoas íntegras e independentes quando adultos.

Quando minha filha ficar maiorzinha, provavelmente ela irá optar por uma casa ou outra, ou até mesmo quando serão os dias do pai e da mãe. Mas até lá ela já teve a convivência com os dois, já assimilou as referências e a influência de ambos, já tem uma personalidade mais formada, e o que é melhor, formada também pelas experiências que teve com a convivência de ambos os pais.

Links legais


Ótimo site de apoio aos pais, guarda compartilhada e fórum de discussão

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

SE ALGUÉM PERGUNTAR POR MIM DIGA QUE FUI POR AÍ






















Não é frieza. Mas planeje a sua saída de casa. Se você tem grana pra alugar um flat ou apartamento mobiliado (onde a locação é rápida, descomplicada e por períodos menores), faça isso. Mas não se esqueça de ver se autorizam a colocação de redes de segurança nas janelas. Isso é essencial. Tanto para a criança quanto para sua cabeça, que deve andar a mil. Isso te dá tranqüilidade para ver o jogo do seu time na sala enquanto a criança brinca tranqüilamente ou assiste um dvd no quarto dela. É claro que de vez em quando é bom dar uma olhadinha pra ver se está tudo bem. E não pode ser só no intervalo do jogo não. Crianças conseguem fazer coisas improváveis em menos de 5 minutos (se forem hiperativas abaixe esse tempo para 30 segundos).

Atenção: Estar com seu filho ou filha não é estar necessariamente colado a ele ou ela. Nesse momento, logo que saímos de casa, a gente precisa mais deles do que eles de nós. Até certa idade da criança mãe e filho se completam. Se você está sem cabeça pra cuidar de filho nesse momento, tudo bem, pegue ou leve na escola, passe algumas horas no fim de semana. Depois que você estiver estabilizado e acostumado à nova vida tudo vai ser diferente.

Caso você tenha que recorrer a algum amigo ou familiar para passar esse período de purgatório, ou seja, enquanto você não tem seu lugarzinho amado, seu pequeno bangalô, seu cantinho, seu cafofo ou, resumindo: um
LAR, tente pensar em quem seria a pessoa ideal para te dar esse pouso provisório. Mas pense exclusivamente em você. Você é o lado frágil. Você está tentando reconstruir a sua vida. Nada de ir pra casa daquela amiga que está com dificuldades para pagar o aluguel. Morar com mulher agora só no próximo casamento para não perder a graça, nem enjoar. Note que nem cogitei o fato de você ficar com a casa e sua ex sair, pois isso é raro. A não ser que haja um bom motivo. Ela ter outro imóvel disponível e você não, por exemplo. Mulher com filho tem primazia sempre.

Nunca peça para um amigo casado que tem um quarto sobrando em casa para se instalar lá por uns tempos. A não ser que seja por um, dois dias. Além de ser uma péssima companhia para alguém que se separou (afinal você não quer ficar vendo como algumas pessoas são felizes no casamento agora!), tem aquele ciuminho da esposa quando você convida o amigo para um chope, e aquele ciuminho do marido quando você chega em casa primeiro que ele. Ou seja, você pode ser o pomo da discórdia num lar aparentemente feliz. E esse peso na consciência é tudo o que você não precisa.

Casa de mãe também não é a melhor idéia. Ela está casada com seu pai e os dois vão falar disso todo dia na sua cabeça, de como eles passaram por crises e ainda estão juntos, tentando fazer você mudar de idéia, ou até podem lhe dar os parabéns e meter o pau na sua ex lhe contando histórias que até então você não sabia. Se sua mamãe é viúva ou separada vai lhe dar aquele colinho gostoso e aconchegante. Mas o que você precisa agora é de alguém que te ponha pra frente, não fazê-lo voltar ao útero. Caso contrário você poderá ficar lá por anos, tanto por conveniência quanto por chantagem emocional da mamãe que graças a sua presença e a do neto encontrou mais alguma coisa pra fazer além de ir à missa e ver novela. Quanto mais rápido você aprender a se virar sozinho melhor (você já ouviu isso quando estava pra sair da casa de seus pais). E ainda tem a possibilidade da mamãe ter um namorado e filho em casa não seria exatamente o que ela gostaria, mas nunca admitiria. Ou seja, podendo procure outra opção. Mães são para as mulheres que saem de casa. E que voltam. Por outro lado, a casa de seu pai pode ser uma boa idéia desde que ele a ofereça com sinceridade (a gente sabe). Pais separados de pais separados são normalmente ótimas companhias. Por um tempo, claro.

Mais um para você evitar como colega de apartamento é aquele amigo recém-separado como você, perdido como você, procurando restabelecer a auto-estima como você, e que provavelmente tem filhos como você. Tá entendendo né? Nesses momentos os iguais não se ajudam. Eles competem. Ambos estão precisando da companhia de pessoas felizes e bem resolvidas, com aquela paciência de Jó para escutar tudo que você tem pra chorar e de dar conselhos que mal são ouvidos. E ambos estão querendo a atenção das mulheres para recuperar sua auto-estima. Querendo provar pra si e para o outro que não se deixam abater. Fuja léguas. Nem que seja por um dia. Vai perder o amigo se topar.

Nesse momento o que a gente precisa é de um bom amigo solteiro ou separado há tempos. Vá lá, pode ser uma amiga solteira também, principalmente se for lésbica. Uma pessoa legal que respeite seu momento, te acompanhe em algumas bebedeiras e esteja a fim de te ouvir quando você precisar de um ombro, sem te cobrar postura alguma. Provavelmente ele já se separou há tempos e ficou na casa de um amigo e por fim, sobreviveu. Vai devolver a você o carinho que aquele amigo teve para com ele. Vai te contar como foi seu processo com orgulho. Ele não precisa ser necessariamente seu melhor amigo, basta ter um quarto sobrando e esteja tranqüilo para te hospedar por uns tempos. Um mês, ou talvez um pouco mais, é suficiente. É bom que você diga já de cara quanto tempo pretende ficar pra ver se está tudo bem. Quanto à grana, mesmo que esse amigo esteja bem de vida, você que é um cara educado, vai fazer compras de vez em quando, oferecer para ajudar no aluguel ou pagar alguma despesa como a conta de luz ou condomínio. E deixe um presentinho para a casa quando se despedir. A época do ogro mal-educado já passou. Ah, e não seja bagunceiro nunca. Ninguém gosta de bagunça que não a própria. O cara tá te ajudando, esforce-se.

Nesse mês você vai repensar sua vida, alugar um ap, quem sabe até arrumar uma garota. Diga de cara pra ela que você é pai. Existem homens e mulheres que não gostam de conviver com crianças. É um direito deles. E pra nós pode virar um inferno ter que optar sempre por um ou outro.

Não tem nada melhor nesse momento do que uma moça que te ache legal e vice-versa. Nada sério, por favor. A não ser que você seja um marido serial. O ideal é uma ficante bacana e sem muitas demandas. Ou como se dizia mais carinhosamente na nossa época, uma amizade colorida, que pode até virar namoro num momento posterior. Deixe rolar. Você sabe que quanto mais carente, menos aparecem pessoas interessantes no nosso barco. E fuja de mulheres complicadas, quer dizer, muito complicadas.

Quando estiver montando seu ap, invista prioritariamente em uma super-cama, um chuveiro com uma ducha forte e quente e um sofá para a sala bem gostoso . São 3 ítens que vão te fazer sentir como se estivesse em uma suite de um hotel bacana. Geladeiras boas e espaçosas (sem serem modelos de luxo) custam pouco mais que as pequenas e gastam a mesma energia. Música pela casa, do banheiro à cozinha, também ajuda e muito a preencher os espaços vagos de uma súbita mudança de cotidiano. Contratar um canal adulto também é uma boa. Mas ponha uma senha nele.
O quarto de sua criança deve ser montado a partir da opinião e participação dela. Leve-a para comprar a cama, alguns itens de decoração. Ela vai adorar montar seu próprio espaço. Tente fazer com que o ambiente seja clean, com espaços para que ela brinque, leia, estude. Eu sou partidário de TV no quarto da criança. Desde que não fique o tempo todo ligada.


SOMOS O QUE SOMOS

Acho que ser homem, pai, marido, adulto do sexo masculino já foi mais fácil, mas não tinha graça. Confinados em seus clubes, escritórios, s...