quarta-feira, 25 de novembro de 2009

SE ALGUÉM PERGUNTAR POR MIM DIGA QUE FUI POR AÍ






















Não é frieza. Mas planeje a sua saída de casa. Se você tem grana pra alugar um flat ou apartamento mobiliado (onde a locação é rápida, descomplicada e por períodos menores), faça isso. Mas não se esqueça de ver se autorizam a colocação de redes de segurança nas janelas. Isso é essencial. Tanto para a criança quanto para sua cabeça, que deve andar a mil. Isso te dá tranqüilidade para ver o jogo do seu time na sala enquanto a criança brinca tranqüilamente ou assiste um dvd no quarto dela. É claro que de vez em quando é bom dar uma olhadinha pra ver se está tudo bem. E não pode ser só no intervalo do jogo não. Crianças conseguem fazer coisas improváveis em menos de 5 minutos (se forem hiperativas abaixe esse tempo para 30 segundos).

Atenção: Estar com seu filho ou filha não é estar necessariamente colado a ele ou ela. Nesse momento, logo que saímos de casa, a gente precisa mais deles do que eles de nós. Até certa idade da criança mãe e filho se completam. Se você está sem cabeça pra cuidar de filho nesse momento, tudo bem, pegue ou leve na escola, passe algumas horas no fim de semana. Depois que você estiver estabilizado e acostumado à nova vida tudo vai ser diferente.

Caso você tenha que recorrer a algum amigo ou familiar para passar esse período de purgatório, ou seja, enquanto você não tem seu lugarzinho amado, seu pequeno bangalô, seu cantinho, seu cafofo ou, resumindo: um
LAR, tente pensar em quem seria a pessoa ideal para te dar esse pouso provisório. Mas pense exclusivamente em você. Você é o lado frágil. Você está tentando reconstruir a sua vida. Nada de ir pra casa daquela amiga que está com dificuldades para pagar o aluguel. Morar com mulher agora só no próximo casamento para não perder a graça, nem enjoar. Note que nem cogitei o fato de você ficar com a casa e sua ex sair, pois isso é raro. A não ser que haja um bom motivo. Ela ter outro imóvel disponível e você não, por exemplo. Mulher com filho tem primazia sempre.

Nunca peça para um amigo casado que tem um quarto sobrando em casa para se instalar lá por uns tempos. A não ser que seja por um, dois dias. Além de ser uma péssima companhia para alguém que se separou (afinal você não quer ficar vendo como algumas pessoas são felizes no casamento agora!), tem aquele ciuminho da esposa quando você convida o amigo para um chope, e aquele ciuminho do marido quando você chega em casa primeiro que ele. Ou seja, você pode ser o pomo da discórdia num lar aparentemente feliz. E esse peso na consciência é tudo o que você não precisa.

Casa de mãe também não é a melhor idéia. Ela está casada com seu pai e os dois vão falar disso todo dia na sua cabeça, de como eles passaram por crises e ainda estão juntos, tentando fazer você mudar de idéia, ou até podem lhe dar os parabéns e meter o pau na sua ex lhe contando histórias que até então você não sabia. Se sua mamãe é viúva ou separada vai lhe dar aquele colinho gostoso e aconchegante. Mas o que você precisa agora é de alguém que te ponha pra frente, não fazê-lo voltar ao útero. Caso contrário você poderá ficar lá por anos, tanto por conveniência quanto por chantagem emocional da mamãe que graças a sua presença e a do neto encontrou mais alguma coisa pra fazer além de ir à missa e ver novela. Quanto mais rápido você aprender a se virar sozinho melhor (você já ouviu isso quando estava pra sair da casa de seus pais). E ainda tem a possibilidade da mamãe ter um namorado e filho em casa não seria exatamente o que ela gostaria, mas nunca admitiria. Ou seja, podendo procure outra opção. Mães são para as mulheres que saem de casa. E que voltam. Por outro lado, a casa de seu pai pode ser uma boa idéia desde que ele a ofereça com sinceridade (a gente sabe). Pais separados de pais separados são normalmente ótimas companhias. Por um tempo, claro.

Mais um para você evitar como colega de apartamento é aquele amigo recém-separado como você, perdido como você, procurando restabelecer a auto-estima como você, e que provavelmente tem filhos como você. Tá entendendo né? Nesses momentos os iguais não se ajudam. Eles competem. Ambos estão precisando da companhia de pessoas felizes e bem resolvidas, com aquela paciência de Jó para escutar tudo que você tem pra chorar e de dar conselhos que mal são ouvidos. E ambos estão querendo a atenção das mulheres para recuperar sua auto-estima. Querendo provar pra si e para o outro que não se deixam abater. Fuja léguas. Nem que seja por um dia. Vai perder o amigo se topar.

Nesse momento o que a gente precisa é de um bom amigo solteiro ou separado há tempos. Vá lá, pode ser uma amiga solteira também, principalmente se for lésbica. Uma pessoa legal que respeite seu momento, te acompanhe em algumas bebedeiras e esteja a fim de te ouvir quando você precisar de um ombro, sem te cobrar postura alguma. Provavelmente ele já se separou há tempos e ficou na casa de um amigo e por fim, sobreviveu. Vai devolver a você o carinho que aquele amigo teve para com ele. Vai te contar como foi seu processo com orgulho. Ele não precisa ser necessariamente seu melhor amigo, basta ter um quarto sobrando e esteja tranqüilo para te hospedar por uns tempos. Um mês, ou talvez um pouco mais, é suficiente. É bom que você diga já de cara quanto tempo pretende ficar pra ver se está tudo bem. Quanto à grana, mesmo que esse amigo esteja bem de vida, você que é um cara educado, vai fazer compras de vez em quando, oferecer para ajudar no aluguel ou pagar alguma despesa como a conta de luz ou condomínio. E deixe um presentinho para a casa quando se despedir. A época do ogro mal-educado já passou. Ah, e não seja bagunceiro nunca. Ninguém gosta de bagunça que não a própria. O cara tá te ajudando, esforce-se.

Nesse mês você vai repensar sua vida, alugar um ap, quem sabe até arrumar uma garota. Diga de cara pra ela que você é pai. Existem homens e mulheres que não gostam de conviver com crianças. É um direito deles. E pra nós pode virar um inferno ter que optar sempre por um ou outro.

Não tem nada melhor nesse momento do que uma moça que te ache legal e vice-versa. Nada sério, por favor. A não ser que você seja um marido serial. O ideal é uma ficante bacana e sem muitas demandas. Ou como se dizia mais carinhosamente na nossa época, uma amizade colorida, que pode até virar namoro num momento posterior. Deixe rolar. Você sabe que quanto mais carente, menos aparecem pessoas interessantes no nosso barco. E fuja de mulheres complicadas, quer dizer, muito complicadas.

Quando estiver montando seu ap, invista prioritariamente em uma super-cama, um chuveiro com uma ducha forte e quente e um sofá para a sala bem gostoso . São 3 ítens que vão te fazer sentir como se estivesse em uma suite de um hotel bacana. Geladeiras boas e espaçosas (sem serem modelos de luxo) custam pouco mais que as pequenas e gastam a mesma energia. Música pela casa, do banheiro à cozinha, também ajuda e muito a preencher os espaços vagos de uma súbita mudança de cotidiano. Contratar um canal adulto também é uma boa. Mas ponha uma senha nele.
O quarto de sua criança deve ser montado a partir da opinião e participação dela. Leve-a para comprar a cama, alguns itens de decoração. Ela vai adorar montar seu próprio espaço. Tente fazer com que o ambiente seja clean, com espaços para que ela brinque, leia, estude. Eu sou partidário de TV no quarto da criança. Desde que não fique o tempo todo ligada.


Um comentário:

3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Caro Aggeo,

que bacana esse seu texto! Eu me separei esse ano e, apesar de não ter filho, entendo exatamente tudo o que vc está dizendo aí. Não planejei nada, resolvi ser folha ao vento, e acabou que fiquei 4 meses na casa de uma amiga separada - e com filho - e praticamente fui expulsa de lá. E perdi uma amiga. Te entendo bem...

Por outro lado, não quis voltar para casa dos meus pais de imediato justamente para não ouvir essa lenga lenga do "casamento é assim mesmo, tem sempre momentos de crise".

Resultado, acabei vindo para cá mesmo. Mas fui super bem acolhida - tem razao de novo: mães são para as mulheres!

Não sei quanto tempo fico por aqui, mas sei que é temporário. Por outro lado, nao estou nem um pouco afim de montar uma casa, tudo de novo, agora...acho que vou ser só filha por um tempo...

Adorei teu blog!

Vou linkar lá no nosso, tá?

beijão e boa sorte nessa fase nova!

Débora

SOMOS O QUE SOMOS

Acho que ser homem, pai, marido, adulto do sexo masculino já foi mais fácil, mas não tinha graça. Confinados em seus clubes, escritórios, s...