PREFÁCIO

Quando me separei, em 2005, minha filha tinha apenas um ano e meio. As primeiras postagens falam mais do processo de reconstruir a vida, tanto a vida pessoal quanto a vida de aprendiz de pai sem a presença da mãe. Agora, compartilho algumas descobertas, incertezas, dúvidas e aventuras que aparecem pelo caminho de nós dois. E a cada dia vejo que sou muito sortudo de ter a companhia que tenho.

Bem vindos ao manual do pai solteiro !

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

NATAL DAS CRIANÇAS

Eu e minha pequena só passamos um natal juntos, quando ela tinha 8 meses. Desde então ela passa com a mãe, que tem família numerosa e com várias crianças. Não tem como competir. Mas daqui alguns anos ela vai pedir pra passar o natal comigo. E será uma noite inesquecível. Ela vai ser meu papai noel e eu o dela.

18 comentários:

Nina disse...

Puxa... Já estou, desde já, torcendo para esse dia chegue bem antes do que você espera, tá?

bjo!

Annie Sena disse...

Estou nessa fila, eu deveria criar um blog chamado manual da mãe de final de semana....rs amo seus textos e suas ilustrações se eu ivesse talento e tempo e mais talento ainda rabiscaria pros meus post tb bjos

Laura disse...

Que lindo! Feliz Natal!

paravocepormim disse...

Sabe o que faço? Trago o pai do meu filhote para passar o Natal na casa da minha família... Apesar de não vivermos mais juntos, conseguimos manter um relacionamento cordial, o que só faz bem para o pequeno. Quem sabe você tenta algo assim...

Vandrei disse...

Adorei o blog e me emocionei com este post. Espero que esse seja o melhor Natal de vocês dois. Sorte!

Angela Carolina disse...

Paciência e sabedoria meu querido... O tempo passa voando e logo mais vcs estarão juntos em outros natais, carnavais... :)
Um noite de natal repleta de luz e alegrias pra ti!
Bjs

Andrea disse...

Aggeo, seus relatos são maravilhosos. Que Deus o abençoe, você é um pai presente e amoroso. Li seu blog inteirinho em meia hora (dica da Cris Guerra, que amo de paixão e responde meus e-mails, amo!), junto com meu marido: rimos, nos emocionamos e concordamos: você não se "furta" do compromisso, é corajoso, bravo!
Feliz Natal, que seja cheio de alegrias, você merece todas!
Andrea, Ladis - pais do pequeno Marco Antônio (SP)

Lêda Maria disse...

Ela vai sim,pode crer.

feliz natal :)

Taimemoinonplus disse...

Olá, Aggeo! Também estou aqui por dica da Cris Guerra...eu não tenho filho, nunca me relacionei com nenhum pai separado...enfim, esse tipo de questões nunca fez parte do meu universo...mas achei seu blog uma graça, não deu pra resistir, e tenho sempre voltado aqui...O clima é muito bom, adoro os desenhos e os textos! ( Se eu topar com algum papai separado, vou te indicar na certa! ;-) )

Anônimo disse...

Achei seu blog através do da Cris Guerra, que eu acompanho para preencher tempo oscioso. Li um pouco do que escreve, gostei dos textos e dos desenhos, estes últimos principalmente.

Aggeo Simões disse...

Obrigado a todos, desejo a vocês um 2010 muito legal e divertido. Sei que minha pequena está bem e feliz e isso é o que importa. Tudo de bom,

Layla Barlavento disse...

Espero que esse dia chegue logo! Torço por vocês!

Beijos na alma!
Layla Barlavento
culpadowalter.blogspot.com

Taty Battistela disse...

Olá...

Fico aqui torcendo pra que esse dia mágico chegue logo. Espero que o seu Natal tenha sido lindo e abençoado!

PS: Passo sempre por aqui. Adoro os textos!

Quando quiser, visite o meu, lá vc encontra de tudo um pouco...

Beijo.

Anônimo disse...

Sabe que chorei ao ler esse blog?
Estou grávida de 3 meses, é meu primeiro filho, mas meu marido tem uma filha de 4 anos. São compçetamente apaixonados um pelo outro, mas a mãe da minha entiada foi embora para outra cidade e proibiu ele de a ver, até um tempo atrás se falavam por telefone e ela dizia "Papai eu te amo, quando eu te ver vou até chorar de tanto que a saudade dói", e nós dois chorava do outro lado da linha. Mas agora ela mudou o telefone e faz uns 5 meses que não temos contato. Entramos na justiça, mas como não sabemos onde ela está, só fica as lembranças, a saudade aperta. A bebê ainda nem sabe que vai ganhar um irmãozinho (ou irmãzinha), e depois que soubemos da notícia, parece que a saudade apertou mais....


Apaixonada pela minha entiada, Mel

Juliana disse...

Adorei seu blog. Não sou mãe, nem solteira nem casada, mas fui capturada por seus blogs sinceros e de escrita fluida!!
Até me senti culpada por se uma mulher No Kidding ...rsrsrs
Bem, sei bem o que é um pai solteiro, só que minha perspectiva era a de filha.
Meu pai tinha voas intenções ,mas cometia todos erros que vc sugere evitar.rsrs

Cristina João disse...

Oi Aggeo,
Você tem razão esse negócio de blog parece uma bolinha de neve vai rolando, crescendo e a gente vai conhecendo um montão de gente bacana.
Li seu texto sobre o Natal, fica triste não, luta pra mudar essa história. Por falar nisso, corre lá no RECOMADRES (vi que você já é seguidor, bom garoto!) e lê um texto sobre o Baú de Memórias, parece que foi feito pra você.
Beijos,
Cris João
(www.recomadres.blogspot.com)

Aggeo Simões disse...

Oi garotas, obrigado pelo carinho e pelos votos. Quando eu escrevi esse post estava realmente triste com a falta da minha pequena no natal, mas eu tenho uma boa convivência com a mãe dela e sua família. Eles fazem uma super festa bacana e sei que minha filha se divertiria muito menos comigo. O dia em que ela quiser passar o natal comigo vai rolar, eu sei, nem que seja daqui uns 10 anos. E vamos passar o reveillon juntos. Vai ser ótimo.

Fiquei comovido com seu comentário também, Mel, é um caso típico de alienação parental. Apesar da mágoa que a mãe de sua enteada deve ainda ter pelo seu marido isso não justifica tal postura. Se fosse eu, estaria arrasado também. É muito triste que essa confusão emocional atinja tanta gente.

E Cris,
fui no recomadres e adorei o texto do baú. Obrigado.

Beijos para vocês e tenham um ano bem feliz e produtivo.

Fernanda Oliviero disse...

Aggeo, tô adorando teus posts e acho uma delícia ler este outro lado, pois vivo o lado da mãe que tema guarda, mas minha filha tm 16 anos, flexibilidade e autonomia pra ver o pai sempre que quer! Graças à Deus ela tem um pai nota 10!! Como vc!!
Mas este post me emocionou como filha, pois vivi isso com meu pai e lembro bem de nosso primeiro natal sozinhos e não foi nada triste (e a família de minha mãe tbm era grande, festas divertidas), mas naquele dia me senti a menina mais sortuda do mundo. Nós preparamos a ceia juntos (eu tinha 11 anos) e depois, à meia noite (lógico 1985)ele me levou para andar com a bicicleta nova na rua!! Infelizmente no Natal seguinte Papai do Céu resolveu levar ele para ceiar no andar de cima, mas tenho certeza que vem visitar todo o Natal, Ano Novo, Aniversário. Essa sintonia não acaba nunca!!
Bjs