MINÚCIAS E MIÇANGAS
















É batata. Faça uma pequena busca nos arredores de sua cama ou do sofá onde você e a moça que acabou de sair da sua casa passaram bons momentos juntos e irá encontrar, no mínimo, um anel. Pulseiras, brincos, passadores são constantes também. Junte-se a isso outras coisas (como preservativos) que podem ter caído debaixo da cama. Nada demais se você morasse sozinho. Mas crianças conseguem achar coisas com a mesma facilidade que conseguem perdê-las. Há brincos que parecem balas (olha você correndo pro pronto-socorro) e todo mundo sabe que camisinhas parecem balões (bleargh). É só passar um pente fino nos arredores, trocar sempre a roupa de cama, checar o banheiro, a cesta de lixo, o tapete, debaixo das almofadas do sofá, embaixo da cama.


Quando estou sozinho em casa fico feliz de poder bagunçar o que eu quiser e ninguém se incomodar ou me encher o saco. Viva a solteirice. Adoro chegar em casa e deixar minha roupa no chão da sala, como se eu tivesse me desintegrado. E lá está tudo no lugarzinho que deixei quando acordo. Mas quando a petita está comigo a coisa é diferente. Daí eu viro um freak, catando tudo o que eu julgo perigoso ou indevido para ela.


Atenção redobrada quando alguém for te visitar. Amigos esquecem um uísque pela metade na mesinha de canto e seu filho pode achar que é chá. Um eletricista por exemplo, deixou um canivete em cima da pia do meu banheiro. Foi por pouco que minha filha não o achou antes de mim. Outro dia a empregada esqueceu um daqueles produtos químicos altamente tóxicos no chão da área, e ele ainda por cima era cor de rosa, a cor predileta da minha filha. A gente tem que ter muita atenção e um pouco de sorte para evitar todos os acidentes possíveis. Pense naquelas plaquinhas que ficam em algumas praias: “Deixe apenas saudades e leve apenas lembranças”.

Agora você não tem outra pessoa para dividir esses cuidados.

Comentários

Noh Gomes disse…
Engraçado ne, depois que temos filhos ganhamos olho clinico, eu consigo ver longe o que não poderia estar em qualquer lugar, minha filha tem o dom de achar tudo que não deveria rsrs. Quanto ao seu blog, ta cada post melhor.

Beijo
Aggeo Simões disse…
Obrigado Noh, to superfeliz com a receptividade. Em algumas pessoas esse olho vem de forma natural, em outras tem que ser exercitado. Melhor falando, em mulheres vem de forma natural e em homens tem que ser exercitado. ;)
Ozenilda Amorim disse…
Gostei do seu blog, bem diferente e informativo e além disso gostei do seu estilo para escrever, informal e divertido.
;)
Ellen disse…
Afinal de contas, qual a idade da sua filha?
Aggeo Simões disse…
Oi Ellen
Ela tem 5 anos e meio. Mas quando me separei ela tinha 1 e meio. Estou postando aqui as experiências que tive nesses 4 anos de pai solteiro até agora. Algumas preocupações somem, outras aparecem. Mas ainda me preocupo muito com o ambiente que é dela também. Isso não mudou.
Olá acabei de conhecer seu blog e amei....eu não sou mãe ainda, mas se Deus quiser serei..ainda tem tempo rs
Mas eu adoro crianças, ajudei a cuidar dos meus irmão, qdo jovem fui baba e fa alguns anos que faço trabalho voluntário em um orfanato, realmente com criança é preciso ter o máximo de cuidado, no último natal meu primo esqueceu uma taça de vinho e minha priminha de 3 anos tomou praticamente tudo, e o pior...até chorou qdo tiramos dela...kkk
Bom, desejo boa sorte para vc e sua filhota...e estou acompanhando e linkando seu blog, visite o meu tb. coloquei no ar hoje, ainda não tem coisas que te interessem, mas prometo que vou fazer postagens para o sexo masculino. beijos Regina.

http://garimpandomodasemodos.blogspot.com/
Ellen disse…
Ela já é uma mocinha. Eu tenho um garoto de 12 anos e uma moçoila de 16. Ele tinha 4 anos quando me separei e, infelizmente o pai não se fez tão presente assim... e a menina tinha 9 anos. Aprendi a ser mãe e pai também. Vou pensar em algumas dicas que podem facilitar sua vida de pai separado. Seu blog é interessante. Boa sorte.
Irina disse…
ah, se todos os pais fossem responsáveis, organizados, amáveis...

as vezes eu sinto que muitos deixam essas "funções" para as mães.
Aggeo Simões disse…
Quando eu morava com a mãe eu também deixava. Crianças e mães são um binômio até uma certa idade. E vendo tanta harmonia a gente fica meio de fora ou por conveniência ou por falta de espaço.
Cristina João disse…
Oi Aggeo,
Eu de novo, adoreeeeeeeeeeei esse texto, os dramas são bem reais porém bem cotidianos pra nós mães mas visto pelo ponto de vista masculino ficou ótimo, divertido, leve como a vida deveria ser, e muito educativo para os novos papais solteiros de plantão.
Você arrasou de novo!
Beijos,
Cris João
(www.recomadres.blogspot.com)
Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Informática Online. Daienne.

Postagens mais visitadas