PREFÁCIO

Quando me separei, em 2005, minha filha tinha apenas um ano e meio. As primeiras postagens falam mais do processo de reconstruir a vida, tanto a vida pessoal quanto a vida de aprendiz de pai sem a presença da mãe. Agora, compartilho algumas descobertas, incertezas, dúvidas e aventuras que aparecem pelo caminho de nós dois. E a cada dia vejo que sou muito sortudo de ter a companhia que tenho.

Bem vindos ao manual do pai solteiro !

quinta-feira, 15 de março de 2012

A GUARDA COMPARTILHADA E NÓS


Eu, minha filha e a mãe dela somos uma família diferente. Não moramos juntos mas conversamos todo dia, trocamos idéias quando temos algum problema e falamos dos acontecimentos do dia. Ava mora parte da semana comigo, parte com a mãe. E isso desde que ela tinha 1 ano e meio. No começo muitas pessoas desconfiavam se isso iria ser bom para ela e que optamos pela guarda apenas para que tivéssemos tempo livre, sem pensar no bem da criança. Sabíamos que a troca de informações constante e a sincronia na rotina das duas casas seriam primordiais para que a guarda desse certo. E foi a partir de muita conversa e com um olhar sempre atento para o comportamento e hábitos da nossa pequena que fez com que, seis anos depois, a gente se orgulhasse da decisão que tomamos. Compartilhei nesse blog várias das fases que passamos nesses anos e continuo, de vez em quando, postando alguma coisa que realmente acho que valha a pena. Nesse último ano pouca coisa mudou na nossa rotina e isso acaba refletindo nos posts. Comecei a achar que era tudo muito parecido com o que tinha escrito e dei um tempo. Volto, motivado pela notícia de que a opção pela guarda compartilhada dobrou em 10 anos (de 2000 para 2010), como mostra a reportagem abaixo. Civilidade, respeito, paciência, compreensão, amor. Uma boa relação pós­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­-separação precisa de tudo isso. Momentos difíceis existem, assim como nas famílias convencionais.

3 comentários:

Anônimo disse...

Excelente blog! Só a título de curiosidade há um agregador de conteúdos chamado Agrega Pais, que é voltado para família, uma ótima forma de divulgar seu blog para este público bem específico.
http://agregapais.com.br/

Att

Sandra

Daniela Castro disse...

Que legal saber que para alguns casais funciona.
Aqui o pai da Sophia pediu o acordo de visitas mas ele mesmo esquece de cumpri-lo.
Eu que acabo ficando mais com minha filha e ele sai perdendo a convivência que para mim é essencial. =(

Genis disse...

Incrível, é muito difícil ver um casal separado agir assim...

*Tô te seguindo agora, mas tá muito difícil ler com o fundo preto e letras brancas... Sou míope e mesmo com os óculos, embaralha tudo... =(

Bjus, Genis ♥
http://mamaegenis.blogspot.com.br/