CALÇA JUSTA




















"Por que os pais da Marina moram juntos e você e mamãe não papai?"
"Se o neném sai da perereca por onde ele entra?"
"As pessoas vão pra onde depois que morrem?"
"Como chama o lugar depois das estrelas?"
"Por que tem pessoas pobres? Elas não sabem rezar?"

Por mais que eu tenha a pretensão de ser um pai antenado, moderno e gostar de conversar e responder as perguntas de minha filha eu me enrolo todo de vez em quando. Sexo e religião são os piores. Tento discutir com a mãe dela algumas conceitos. Mas na hora mesmo da pergunta, eu, que odeio mentir pra pequena, fico sem saber se devo discorrer tão cedo por questões tão complexas, que quase não permitem uma explicação simplificada mas verdadeira. Eu dou umas voltas e ela acaba se dando por satisfeita. Minha geração foi muito mais precoce que a dos meus pais e assim é a geração da Ava comparada à minha. Mas apesar de saberem tanta coisa, será que estarão realmente preparadas psicologicamente para tanta informação? Ó dúvida cruel.

Uma amiga minha, mãe de um casal, questionada sobre o que seria sexo oral e sexo anal pela filha, com 9 anos, saiu com essa:

- Sexo oral é o que se faz de hora em hora e sexo anal o que se faz de ano em ano.

Brilhante!

Comentários

Luisa Dias disse…
Também tenho estas dúvidas... e já respondi muita coisa qu eele não queria saber. Fazer o que? Expostos ao mundo de forma tão visceral, eles captam e querem mais. E confesso que algumas perguntas nem sei responder. Abraços e boa semana!
Noh Gomes disse…
Penso o mesmo, e olha que minha filha so tem 1 ano e 6 meses, mas há perguntas que não querem calar e a dúvida esta ai, o que responder.
Espero que consiga suas respostas da melhor maneira possivel e que consiga passa-las tb da melhor maneira.

Amei ler suas ferias, me deu mais coragem de ir sozinha com a minha.

Beijos gigantes de bom.
Nina disse…
Oi,

Gostei do texto.
Ah, é complicado mesmo!!! Passo por isso também. Procuro responder sempre com poucas palavras e da forma mais simples e verdadeira possível. Se ela continua a perguntar, vou adiante. Mas geralmente, se contenta com a primeira explicação.

bj
Idoca disse…
Oi, moço.
Bacana o seu blog. E muito legal as questões que você expõe.
Parabéns!
Anônimo disse…
A minha tem dois anos!!!

Num vejo as hora de vir essa fase das perguntas!!!

Se bem que tão tão boa a fase atual que tb não quero que passe
RoCosta disse…
A minha já vai fazer 20 anos em maio mas jamais esqueci esses momentos. E pensei que se ela perguntava é porque estava na hora e pronta para saber, mas nunca me aprofundava. Muitas vezes perguntam uma coisa querendo saber outra. Exemplo: quando tinha uns 4 anos uma vizinha ficou grávida e ela perguntou assim?
- Mãe como é um bebê foi parar na barriga dela?
Eu respondi:
_ Fazendo sexo.
Ela:
_ Então faz sexo também porque eu quero um irmãozinho.
Foi hilário... mas eu sei que na hora as pernas tremem ;-)
Forte baraço!
Roberta disse…
Oi, Aggeo,
Conheci seu blog agora, navegando por outros, e achei muito legal. Acho muito interessante ver o ponto de vista dos homens sobre a vida com filhos pequenos. E admiro os homens que expõem esses sentimentos e anseios sem problemas.
Tenho uma filha de 2 anos e meio e um blog sobre maternidade & afins. Se um dia tiver um tempinho de conhecer, será benvindo por lá.
Abraços,
Roberta
www.meuprojetinhodevida.blogspot.com
Cristina João disse…
Oi Aggeo,
essas crianças são mesmo uma maquininha de fazer perguntas, e algumas delas são mesmo difíceis, aqui em casa eu sempre falei a verdade dentro do universo que eles podiam entender, a cada fase eu fui aunebtando o grau de dificuldade nas informações que eu ia passando e tem dado certo. Eles querem sempre uma resposta rápida, sem rodeios, clara o objetiva, verdadeira e só, não precisamos defender teses com eles. Quanto aos pobres, uma pisicoterapeuta me ensinou que uma boa resposta, enquanto pequenos, é que nem todo mundo trabalha tanto assim que possa viver da mesma maneira que nós. à princípio basta porque você de quebra ainda ensina que sem trabalho não se consegue nada, depois à medida que eles vão amadurecendo, podemos ir mais à fundo nas questões sociais, falta de oportunidades, falta de instrução e etc. Na minha casa deu certo, meu filho sofria muito com a desigualdade social e melhorou muito!
Beijocas,
Cristina João
(www.recomadres.blogspot.com)
Homem de 30 disse…
Olá meu velho! Sou pai solteiro também. Na verdade, faço parte duma família com 3 solteirões e minha filha. Moramos eu, meu pai, meu irmão mais novo e minha filha de 10 anos. Dá uma chegada no meu blog e vê as desventuras dessa minha vida de pai solteiro e gastônomo amador.
Rogério.

oquecomi.blogspot.com
Aggeo Simões disse…
Esse post foi meio lugar comum, mas inevitável. Quando acontece com a gente é diferente. Acho que não temos como errar feio se a gente se preocupa e se dedica. No máximo uma resposta fora da hora que também não vai fazer estrago. Vamos seguir os instintos, como dizem as mulheres.
Obrigado e tudo de bom.
Jacke Gense disse…
Filhos sempre nos surpreende com suas perguntas!!! Entretanto minha mais velha de quase 8 anos é super inocente comparada as outras crianças da mesma idade. E no fundo acho isso ótimo, pois vejo que a criançada vem se amadurecendo muito rápido... e pergunto para que? Perder a infancia tão rapidamente... acho que não vale a pena!!!
Agora o negócio é ter sempre a resposta certa na hora certa!!!

Boa sorte!!
Ju disse…
Muito bom o seu blog, já me inscrevi =)
Sobre as perguntas, elas são super normais, mas muitas vezes deixam os pais de cabelo em pé mesmo. O ideal é que vc sempre fale a verdade, sem ir muito longe, responda de forma simples e normalmente eles ficam satisfeitos.
Boa sorte =)
Cris Ventura disse…
Sensacional a resposta dessa mãe!!! Já memorizei! Me separei há algum tempo e passei uma fase muito difícil. Estou aprendendo e me divertindo com as suas postagens e vivências!

Postagens mais visitadas